Blog Mariando

Os juros caíram. E agora?

Os juros estão caindo no Brasil. Agora, pela primeira vez em quase quatro anos a taxa básica de juros (Selic) voltará a ter apenas um dígito.

Investidores ou não, todos deveríamos ficar de olho nessa taxa. Por quê? Como o próprio nome diz, ela é a taxa básica da nossa economia. Serve de referência para tudo: empréstimos, financiamentos, investimentos. Até sobre a poupança ela passará a ter impacto em breve.

Por que os juros sobem? Por que caem?

No Brasil temos um sistema chamado de meta de inflação. Ninguém gosta de inflação: aumentos muito frequentes de preços dificultam a nossa vida, fazem os salários valerem menos, acabam levando a gente a perder a referência do que está caro ou barato, de quanto as coisas realmente valem. Por isso, o governo procura manter a inflação sob controle. Como? Um dos motivos que fazem os preços aumentarem é uma procura muito grande pelos produtos. Se muita gente quer comprar uma coisa, é natural que o preço suba. É o que os economistas chamam de lei de oferta e procura. Então, se uma economia está crescendo muito rápido, com baixo desemprego, todo mundo com dinheiro para gastar, os preços tendem a subir. Se a economia está mal, com muita gente sem ocupação e com orçamento apertado, os preços tendem a cair ou ficar estáveis.

Então, o segredo para o governo manter a inflação sob controle é ficar de olho em como a economia está crescendo e tentar controlar esse crescimento. Como? Subindo ou reduzindo a taxa de juros.

O que está acontecendo agora no Brasil? Estamos ainda numa grande crise, muita gente desempregada, empresas fechando, consumo baixo, preços estáveis ou caindo. O Banco Central está reduzindo os juros. E todos nós estamos menos preocupados com a inflação, e mais preocupados em ver nossa economia crescer. Os juros mais baixos ajudam nisso.

 

Agora vamos falar de seus investimentos, veja como a taxa de juros pode influenciar seus rendimentos...

Seu dinheiro está investido em Renda Fixa?

A renda fixa não é fixa. Isso significa que ela não tem um rendimento certo. Mas por que tem esse nome? Porque a regra da remuneração é conhecida no momento da aplicação. Funciona assim: um título de renda fixa é um título de dívida. Você “empresta” seu dinheiro para alguém (governo, bancos ou empresas), que se compromete a devolvê-lo num determinado prazo e com uma certa remuneração. Isso é fixo e garantido! E você conhece as condições em que receberá o seu dinheiro de volta: ele pode vir acrescido de uma taxa fixa estabelecida no ato da compra; ou de uma parte fixa e outra variável. Entre os investimentos em renda fixa estão títulos públicos (Tesouro Direto), títulos privados (debêntures) e ativos bancários, como CDB (Certificado de Depósito Bancário) ou letras de crédito. Com a queda da taxa de juros, estes investimentos são impactados porque o rendimento deles é, pelo menos em parte, atrelado à Selic.

Se o papel promete pagar 100% da Selic ou do CDI, ele oferecerá uma remuneração menor à medida que a taxa básica de juros cair. O CDI é a taxa que baliza os empréstimos entre bancos (isso mesmo! As instituições emprestam dinheiro umas às outras o tempo todo). A taxa acompanha as condições do mercado e segue de perto a variação da Selic. Então, se a Selic cai, o CDI acompanha.

E se o dinheiro estiver na caderneta de poupança?

É provável que você tenha aprendido que a poupança rende mais ou menos 0,5% ao mês. Mas quando a taxa Selic fica igual ou menor que 8,5% ao ano, a forma de remuneração muda. O investidor passa a receber 70% da Selic, mais a variação da TR, que é uma taxa calculada, entre outras coisas, a partir da ponderação das taxas de juros dos CDBs. Então, se a Selic cai, a TR também cai. Com isso, o retorno da caderneta fica menor.

Vamos falar de ações ?

Nelas, o impacto da queda da taxa de juros é indireto. Quando uma pessoa compra ações, se torna sócia da empresa. Uma empresa tende a se beneficiar da queda na taxa de juros, pois ela terá melhores condições para se financiar e isso pode impulsionar seus investimentos, fazendo-a crescer. Num ambiente com juros menores, há mais consumo e isso também é um fator que impulsiona a economia e estimula as empresas a produzirem mais. Isso pode levar as ações daquela empresa que você é sócio a se valorizarem. Não é regra, porque não é só essa variável que faz o preço de uma ação subir ou descer, mas em linhas gerais, a queda de juros é boa para o mercado de ações.

Deu para perceber que a mudança da taxa Selic impacta muita coisa na economia. Tem reflexo direto sobre o consumo, sobre a inflação e sobre os investimentos.

Espero ter ajudado a entender um pouco mais sobre este indicador e sobre a importância de acompanhá-lo para ganhar dinheiro ;)

 

Gostou? Continue Mariando!

 

Última modificação em Quarta, 02 Agosto 2017 11:26
Maria Carolina Mattos

Maria Carolina Mattos, formada em Marketing pela Universidade Paulista (UNIP) e MBA Executivo em Finanças pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Analista Financeiro, Blogueira e Empreendedora. Autora do blog Mariando, co-autora do blog Viagempara e fundadora da empresa de alimentos naturais NaturAll, além disso, mãe de uma menina linda de 11 anos ;)

Website.: www.mariando.com.br E-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Mais nesta categoria: « Você sabe o que é a PEC 241?